Translations by Yves Junqueira

Yves Junqueira has submitted the following strings to this translation. Contributions are visually coded: currently used translations, unreviewed suggestions, rejected suggestions.

51100 of 108 results
454.
$ svnserve -d --foreground -r /path/to/repos # -d -- daemon mode # --foreground -- run in foreground (useful for debugging) # -r -- root of directory to serve For more usage details, please refer to: $ svnserve --help
2006-05-17
$ svnserve -d --foreground -r /caminho/para/o/repositorio # -d -- modo daemon # --foreground -- roda em primeiro plano (útil para detecção de erros) # -r -- raiz do diretório a ser servido Para maiores detalhes de utilização, por favor consulte: $ svnserve --help
455.
Once you run this command, Subversion starts listening on default port (3690). To access the project repository, you must run the following command from a terminal prompt:
2006-05-17
Assim que você rodar esse comando, o Subversion iniciará ouvindo na porta padrão (3690). Para acessar o repositório do projeto, você precisa rodar o seguinte comando a partir de um prompt de terminal:
463.
It is also assumed that the ssh server is running on that machine and that it is allowing incoming connections. To confirm, please try to login to that machine using ssh. If you can login, everything is perfect. If you cannot login, please address it before continuing further.
2006-05-17
Também assume-se que o servidor ssh esteja rodando na maquina e que ele permita conexões entrantes. Para confirmar, por favor tente fazer login na maquina usando ssh. Se você puder fazer login, tudo está perfeito. Se você não puder fazer login, por favor resolva isso antes de continuar.
469.
CVS is a version control system. You can use it to record the history of source files.
2006-05-17
O CVS é um sistema de controle de versões. Você pode usá-lo para gravar o histórico de arquivos fonte.
470.
At a terminal prompt, enter the following command to install <application>cvs</application>: <screen> <command>sudo apt-get install cvs</command> </screen> After you install <application>cvs</application>, you should install <application>xinetd</application> to start/stop the cvs server. At the prompt, enter the following command to install <application>xinetd</application>: <screen> <command>sudo apt-get install xinetd</command> </screen>
2006-05-17
Em um prompt de terminal, informe o seguinte comando para instalar o <application>cvs</application>: <screen> <command>sudo apt-get install cvs</command> </screen>Depois que você instalar o <application>cvs</application>, você deverá instalar o <application>xinetd</application> para iniciar/parar o servidor cvs. No prompt, informe o seguinte comando para instalar o <application>xinetd</application>:<screen> <command>sudo apt-get install xinetd</command> </screen>
471.
service cvspserver { port = 2401 socket_type = stream protocol = tcp user = root wait = no type = UNLISTED server = /usr/bin/cvs server_args = -f --allow-root /var/lib/cvs pserver disable = no }
2006-05-17
service cvspserver { port = 2401 socket_type = stream protocol = tcp user = root wait = no type = UNLISTED server = /usr/bin/cvs server_args = -f --allow-root /var/lib/cvs pserver disable = no }
478.
From here you can continue to add users, add new projects, and manage the CVS server.
2006-05-17
Daqui em diante, você pode continuar a adicionar usuários, criar novos projetos e administrar o servidor CVS.
479.
CVS allows the user to add users independently of the underlying OS installation. Probably the easiest way is to use the Linux Users for CVS, although it has potential security issues. Please refer to the CVS manual for details.
2006-05-17
O CVS permite que o usuário adicione usuários independentemente da instalação do SO hospedeiro. Provavelmente a maneira mais fácil é usar os Usuários do Linux para o CVS, entretanto isso oferece problemas potenciais de segurança. Por favor consulte o manual para mais detalhes.
482.
When you add a new project, the CVS user you use must have write access to the CVS repository (<application>/var/lib/cvs</application>). By default, the <application>src</application> group has write access to the CVS repository. So, you can add the user to this group, and he can then add and manage projects in the CVS repository.
2006-05-17
Quando você adicionar um novo projeto, o usuário CVS tem permisssão de escrita no repositório CVS (<application>/var/lib/cvs</application>). Por padrão, o grupo <application>src</application> tem permissão de escrita no repositório CVS. Então, você pode adicionar um usuário neste grupo, e ele poderá então adicionar e gerenciar projetos no respositório CVS.
2006-05-17
Quando você adicionar um novo projeto, o usuário CVS tem permisssão de escrita no repositório CVS (<application>/var/lib/cvs</application>). Por padrão, o grupo <application>src</application> tem permissão de escrita no repositório CVS. Então, você pode adicionar um usuário neste grupo, e ele poderá então adicionar e gerenciar projetos no respositório CVS.
614.
The Linux kernel includes the <emphasis>Netfilter</emphasis> subsystem, which is used to manipulate or decide the fate of network traffic headed into or through your server. All modern Linux firewall solutions use this system for packet filtering.
2006-04-25
O kernel Linux inclui o subsistema <emphasis>Netfilter</emphasis>, o qual é usado para manipular ou decidir o destino do tráfego de rede dirigido para ou através de seu servidor. Todas as soluções de firewall Linux modernas utilizam esse sistema para filtragem de pacotes.
788.
Generating RSA private key, 1024 bit long modulus .....................++++++ .................++++++ unable to write 'random state' e is 65537 (0x10001) Enter pass phrase for server.key:
2006-05-17
Gerando chave privada RSA, 1024 bit módulos longos .....................++++++ .................++++++ impossível escrever 'estado aletaório' e é 65537 (0x10001) Informe a chave senha para o server.key:
2006-05-17
Gerando chave privada RSA, 1024 bit módulos longos .....................++++++ .................++++++ impossível escrever 'estado aletaório' e é 65537 (0x10001) Informe a chave senha para o server.key:
789.
You can now enter your passphrase. For best security, it should at least contain eight characters. The minimum length when specifying -des3 is four characters. It should include numbers and/or punctuation and not be a word in a dictionary. Also remember that your passphrase is case-sensitive.
2006-05-17
Agora, você pode inserir a sua senha. Para uma segurança melhor, ela deve conter no mínimo oito caracteres. O tamanho mínimo quando -des3 é especificado é de quatro caracteres. É bom incluir números e/ou pontuação e não ser uma palavra de dicionário. Também, lembre-se que a sua senha é sensível à caixa alta e/ ou baixa.
817.
OpenSSH is a freely available version of the Secure Shell (SSH) protocol family of tools for remotely controlling a computer or transferring files between computers. Traditional tools used to accomplish these functions, such as <application>telnet</application> or <application>rcp</application>, are insecure and transmit the user's password in cleartext when used. OpenSSH provides a server daemon and client tools to facilitate secure, encrypted remote control and file transfer operations, effectively replacing the legacy tools.
2006-04-27
OpenSSH é uma versão disponível livremente da família de ferramentas do protocolo Secure Shell (SSH) para controlar um computador remotamente ou transferir arquivos entre computadores. Ferramentas tradicionais utilizadas para cumprir essas funções, como <application>telnet</application> ou <application>rcp</application> são inseguras e transmitem a senha de um usuário em texto puro quando utilizadas. O OpenSSH provê um servidor daemon e ferramentas de cliente para facilitar controle remoto e operações de transmissão de arquivo com segurança e criptografia, efetivamente substituindo ferramentas de legado.
969.
Many more configurations are possible, including dialup PPP interfaces, IPv6 networking, VPN devices, etc. Refer to <application>man 5 interfaces</application> for more information and supported options. Remember that <filename>/etc/network/interfaces</filename> is used by the <application>ifup</application>/<application>ifdown</application> scripts as a higher level configuration scheme than may be used in some other Linux distributions, and that the traditional, lower level utilities such as <application>ifconfig</application>, <application>route</application>, and <application>dhclient</application> are still available to you for ad hoc configurations.
2006-04-25
Diversas outras configurações são possíveis, incluindo interfaces PPP, rede em IPv6, interfaces VPN, entre outras. Execute o comando <application>man 5 interfaces</application> para mais informações e para as opções suportadas. Lembre-se que <filename>/etc/network/interfaces</filename> é utilizado pelos scripts <application>ifup</application>/<application>ifdown</application> como um esquema de configuração de mais alto nível, que pode ser utilizado por outras distribuições, e que os utilitários de baixo nível, como <application>ifconfig</application>, <application>route</application> e <application>dhclient</application> continuam disponíveis para configurações ad hoc.
972.
To manage DNS entries, you can add, edit, or remove DNS names from the <filename>/etc/resolv.conf</filename> file. A <ulink url="../sample/resolv.conf">sample file</ulink> is given below:
2006-04-25
Para gerenciar entradas de DNS, você pode adicionar, alterar ou remover nomes de DNS do arquivo <filename>/etc/resolv.conf</filename>. Um <ulink url="../sample/resolv.conf">arquivo de exemplo</ulink> pode ser visto abaixo:
979.
If your network contains computers whose IP addresses are not listed in DNS, it is recommended that you add them to the <filename>/etc/hosts</filename> file.
2006-04-25
Se sua rede possui computadores cujos endereços IP não estão listadas no DNS, é recomendado que você os adicione ao arquivo <filename>/etc/hosts</filename>.
981.
The Transmission Control Protocol and Internet Protocol (TCP/IP) is a standard set of protocols developed in the late 1970s by the Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) as a means of communication between different types of computers and computer networks. TCP/IP is the driving force of the Internet, and thus it is the most popular set of network protocols on Earth.
2006-04-25
O Transmission Control Protocol e o Internet Protocol (TCP/IP) são um conjunto podrão de protocolos desenvolvidos no final dos anos 1970 pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) como uma forma de comunicação entre diferente tipos de computadores e redes de computadores. TCP/IP é a força motora da Internet, e é portanto o mais popular conjunto de protocolos da Terra.
2006-04-25
O Transmission Control Protocol e o Internet Protocol (TCP/IP) são um conjunto podrão de protocolos desenvolvidos no final dos anos 1970 pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) como uma forma de comunicação entre diferente tipos de computadores e redes de computadores. TCP/IP é a força motora da Internet, e é portanto o mais popular conjunto de protocolos da Terra.
983.
The two protocol components of TCP/IP deal with different aspects of computer networking. <emphasis>Internet Protocol</emphasis>, the "IP" of TCP/IP is a connectionless protocol which deals only with network packet routing using the <emphasis role="italics">IP datagram</emphasis> as the basic unit of networking information. The IP datagram consists of a header followed by a message. The <emphasis> Transmission Control Protocol</emphasis> is the "TCP" of TCP/IP and enables network hosts to establish connections which may be used to exchange data streams. TCP also guarantees that the data between connections is delivered and that it arrives at one network host in the same order as sent from another network host.
2006-04-25
Os dois protocolos componentes do TCP/IP lidam com diferentes aspectos da computação em rede. <emphasis>Internet Protocol</emphasis>, o "IP" do TCP/IP é um protocolo de sem conexão que lida somente com o roteamento de pacotes da rede utilizando o <emphasis role="italics">datagrama de IPs</emphasis> como unidade básica das informações de rede. O datagrama do IP consiste de um cabeçaho seguido de uma mensagem. O <emphasis>TCP (Transmission Control Protocol - Protocolo de Controle de Transmissão)</emphesis> é o "TCP" do TCP/IP e permite que os hosts da rede estabeleçam conexões, as quais podem ser usadas para troca de fluxo de dados. O TCP também garante que o dado entre as conexões seja entregue e que ele chegue em um host de rede na mesma ordem em que foi enviada por outro host de rede.
985.
The TCP/IP protocol configuration consists of several elements which must be set by editing the appropriate configuration files, or deploying solutions such as the Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) server which in turn, can be configured to provide the proper TCP/IP configuration settings to network clients automatically. These configuration values must be set correctly in order to facilitate the proper network operation of your Ubuntu system.
2006-04-25
A configuração do protocolo TCP/IP consiste em diversos elementos, que podem ser editados nos arquivos de configuração apropriados, ou optando-se por soluções como o servidor de DHCP (Protocolo de Configuração Dinâmica de Hosts), que por sua vez pode ser configurado para prover as configurações TCP/IP necessárias para cada cliente de rede automaticamente. Esses valores da configuração precisam ser definidos corretamente, de maneira que que facilite o funcionamento em rede do seu sistema Ubuntu.
986.
<emphasis role="bold">IP address</emphasis> The IP address is a unique identifying string expressed as four decimal numbers ranging from zero (0) to two-hundred and fifty-five (255), separated by periods, with each of the four numbers representing eight (8) bits of the address for a total length of thirty-two (32) bits for the whole address. This format is called <emphasis>dotted quad notation</emphasis>.
2006-04-25
<emphasis role="bold">Endereço IP</emphasis> O Endereço de IP é uma string de identificação única, expressa em quatro números decimais, que vão de zero (0) à duzentos e cinquenta e cinco (255), separada por pontos, com cada um dos quatros números representado oito (8) bits do endereço, para um tamanho total de trinta e dois (32) bits para todo o endereço. Este formato é chamado de <emphasis>notação decimal com pontos</emphasis>.
991.
<emphasis role="bold">Nameserver Address</emphasis> Nameserver Addresses represent the IP addresses of Domain Name Service (DNS) systems, which resolve network hostnames into IP addresses. There are three levels of Nameserver Addresses, which may be specified in order of precedence: The <emphasis>Primary</emphasis> Nameserver, the <emphasis>Secondary</emphasis> Nameserver, and the <emphasis>Tertiary</emphasis> Nameserver. In order for your system to be able to resolve network hostnames into their corresponding IP addresses, you must specify valid Nameserver Addresses which you are authorized to use in your system's TCP/IP configuration. In many cases these addresses can and will be provided by your network service provider, but many free and publicly accessible Nameservers are available for use, such as the Level3 (Verizon) servers with IP addresses from 4.2.2.1 to 4.2.2.6.
2006-04-27
<emphasis role="bold">Endereço do Servidor de Nomes</emphasis> Endereços de servidores de nome representam o endereço IP do sistema de Serviço de Nomes de Domínio (Domain Name Service - DNS), que resolve nomes de hosts de rede para endereços IP. Há três níveis de endereços de servidor de nomes, que podem ser especificados em ordem de precedência: O servidor de nomes <emphasis>Primário</emphasis>, o servidor de nomes <emphasis>Secundário</emphasis> e o servidor de nomes <emphasis>Terciário</emphasis>. Para que seu sistema possa resolver nome de hosts da rede para seus endereços IP correspondentes, você deve especificar um endereço de servidor de nomes válido o qual você esteja autorizado a utilizar na configuração de TCP/IP do seu sistema. Em muitos casos esses endereços podem e devem ser fornecidos pelo seu provedor de serviços de rede, mas há muitos servidores de nomes gratuitos e acessíveis publicamente, como os servidores Level3 (Verizon) com endereços de IP de 4.2.2.1 a 4.2.2.6.
998.
IP Routing
2006-04-25
Roteamento IP
1020.
Print Server
2006-04-27
Servidor de Impressão
1036.
This will result in the DHCP server giving a client an IP address from the range 192.168.1.10-192.168.1.100 or 192.168.1.150-192.168.1.200. It will lease an IP address for 600 seconds if the client doesn't ask for a specific time frame. Otherwise the maximum (allowed) lease will be 7200 seconds. The server will also "advise" the client that it should use 255.255.255.0 as its subnet mask, 192.168.1.255 as its broadcast address, 192.168.1.254 as the router/gateway and 192.168.1.1 and 192.168.1.2 as its DNS servers.
2006-04-27
Isso irá fazer com que o servidor DHCP atribua ao cliente um endereço IP a partir da faixa 192.168.1.10-192.168.1.100 ou 192.168.1.150-192.168.1.200. Ele irá emprestar um endereço por 600 segundos se o cliente não perguntar por um determinado período de tempo. O servidor também irá "avisar" o cliente que ele deve usar 255.255.255.0 como sua máscara de sub-rede, 192.168.1.255 como seu endereço de broadcast, 192.168.1.254 como roteador/gateway e 192.168.1.1 e 192.168.1.2 como seus servidores DNS.
1120.
The process of getting an email from one person to another over a network or the Internet involves many systems working together. Each of these systems must be correctly configured for the process to work. The sender uses a <emphasis>Mail User Agent</emphasis> (MUA), or email client, to send the message through one or more <emphasis>Mail Transfer Agents</emphasis> (MTA), the last of which will hand it off to a <emphasis>Mail Delivery Agent</emphasis> (MDA) for delivery to the recipient's mailbox, from which it will be retrieved by the recipient's email client, usually via a POP3 or IMAP server.
2006-05-17
O processo de entrega de um e-mail de um pessoa para outra através da rede ou da Internet demanda o trabalho conjunto de muitos sistemas. Cada um desses sistemas precisa estar corretamente configurado para que o processo funcione. O remetente usa um <emphasis>Agente Usuário de Correio</emphasis> (MUA) ou cliente de e-mail, para enviar a mensagem através de um ou mais <emphasis>Agentes de Transferência de Correio</emphasis> (MTA), o qual irá entregá-la para um <emphasis>Agente de Entrega de Correio</emphasis> (MDA) para entregá-la na caixa postal do destinatário, apartir da qual será retirada pelo cliente de e-mail do destinatário, normalmente através de um servidor POP3 ou IMAP.
1122.
<application>Postfix</application> is the default Mail Transfer Agent (MTA) in Ubuntu. It attempts to be fast and easy to administer and secure. It is compatible with the MTA <application>sendmail</application>. This section explains how to install and configure <application>postfix</application>. It also explains how to set it up as an SMTP server using a secure connection (for sending emails securely).
2006-05-17
<application>Postfix</application> é o Mail Transfer Agent (MTA) padrão do Ubuntu. Ele tenta ser rápido, fácil de administrar e seguro. É compatível com o MTA <application>sendmail</application>. Esta seção explica como instalar e configurar o <application>postfix</application>. Também explica como configurá-lo como um servidor SMTP usando uma conexão segura (para enviar emails de forma segura).
1146.
SMTP Authentication
2006-05-18
Autenticação SMTP
1157.
Now, the file <filename>/etc/postfix/main.cf</filename> should look like <ulink url="../sample/postfix_configuration">this</ulink>.
2006-05-18
Agora, o arquivo <filename>/etc/postfix/main.cf</filename> parecerá com <ulink url="../sample/postfix_configuration">este</ulink>.
1213.
At any time, you should not edit the master configuration file, <filename>/var/lib/exim4/config.autogenerated</filename> manually. It is updated automatically every time you run <command>update-exim4.conf</command>
2006-05-18
Em nenhum momento você deve editar o arquivo de configuração principal <filename>/var/lib/exim4/config.autogenerated</filename> manualmente. Ele é atualizado automaticamente toda vez que você roda o <command>update-exim4.conf</command>
1239.
To configure <application>dovecot</application>, you can edit the file <filename>/etc/dovecot/dovecot.conf</filename>. You can choose the protocol you use. It could be pop3, pop3s (pop3 secure), imap and imaps (imap secure). A description of these protocols is beyond the scope of this guide. For further information, refer to the wikipedia articles on <ulink url="http://en.wikipedia.org/wiki/POP3">POP3</ulink> and <ulink url="http://en.wikipedia.org/wiki/Internet_Message_Access_Protocol">IMAP</ulink>.
2006-05-18
Para configurar o <application>dovecot</application>, você pode editar o arquivo <filename>/etc/dovecot/dovecot.conf</filename>. Você pode escolher o protocolo que você usa. Ele pode ser pop3, pop3s (pop3 seguro), imap e imaps (imap seguro). Uma descrição desses protocolos está além do escopo desse guia. Para maiores informações, consulte os artigos da wikipedia em <ulink url="http://pt.wikipedia.org/wiki/POP3">POP3</ulink> e <ulink url="http://pt.wikipedia.org/wiki/Internet_Message_Access_Protocol">IMAP</ulink>.
1248.
bhuvan@rainbow:~$ telnet localhost pop3 Trying 127.0.0.1... Connected to localhost.localdomain. Escape character is '^]'. +OK Dovecot ready.
2006-05-18
bhuvan@rainbow:~$ telnet localhost pop3 Trying 127.0.0.1... Connected to localhost.localdomain. Escape character is '^]'. +OK Dovecot ready.
1249.
Dovecot SSL Configuration
2006-05-18
Configuração de SSL do Dovecot
1300.
# start # Home dir for your Mailman installation -- aka Mailman's prefix # directory. # On Ubuntu this should be "/var/lib/mailman" # This is normally the same as ~mailman MM_HOME=/var/lib/mailman # # User and group for Mailman, should match your --with-mail-gid # switch to Mailman's configure script. Value is normally "mailman" MM_UID=list MM_GID=list # # Domains that your lists are in - colon separated list # you may wish to add these into local_domains as well domainlist mm_domains=hostname.com # # -=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-= # # These values are derived from the ones above and should not need # editing unless you have munged your mailman installation # # The path of the Mailman mail wrapper script MM_WRAP=MM_HOME/mail/mailman # # The path of the list config file (used as a required file when # verifying list addresses) MM_LISTCHK=MM_HOME/lists/${lc::$local_part}/config.pck # end
2006-05-18
# início # Diretório inicial para sua instalação do mailman -- tambem conhecido # como diretório prefixo do Mailman directory. # No Ubuntu isso deve ser "/var/lib/mailman" # É geralmente o mesmo que ~mailman MM_HOME=/var/lib/mailman # # Usuário e grupo para o Mailman, deve equivaler ao seu parâmetro # --with-mail-gid ao script "configura" do Mailman. O valor é normalmente # "mailman" MM_UID=list MM_GID=list # # Domínios onde estão suas listas - lista separada por vírgulas # você pode querer adicioná-los também ao local_domains domainlist mm_domains=hostname.com # # -=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-= # # Estes valores são derivados daqueles acima and você não deverá # precisar editá-los a não ser que você tenha bagunçado a sua instalação # do mailman # # O caminho do script wrapper de email do Mailman MM_WRAP=MM_HOME/mail/mailman # # O arquivo do arquivo de configuração da lista (usado como um arquivo # requerido quando se verifica endereços de listas) MM_LISTCHK=MM_HOME/lists/${lc::$local_part}/config.pck # fim
2006-05-18
# início # Diretório inicial para sua instalação do mailman -- tambem conhecido # como diretório prefixo do Mailman directory. # No Ubuntu isso deve ser "/var/lib/mailman" # É geralmente o mesmo que ~mailman MM_HOME=/var/lib/mailman # # Usuário e grupo para o Mailman, deve equivaler ao seu parâmetro # --with-mail-gid ao script "configura" do Mailman. O valor é normalmente # "mailman" MM_UID=list MM_GID=list # # Domínios onde estão suas listas - lista separada por vírgulas # você pode querer adicioná-los também ao local_domains domainlist mm_domains=hostname.com # # -=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-= # # Estes valores são derivados daqueles acima and você não deverá # precisar editá-los a não ser que você tenha bagunçado a sua instalação # do mailman # # O caminho do script wrapper de email do Mailman MM_WRAP=MM_HOME/mail/mailman # # O arquivo do arquivo de configuração da lista (usado como um arquivo # requerido quando se verifica endereços de listas) MM_LISTCHK=MM_HOME/lists/${lc::$local_part}/config.pck # fim
1302.
mailman_transport: driver = pipe command = MM_WRAP \ '${if def:local_part_suffix \ {${sg{$local_part_suffix}{-(\\w+)(\\+.*)?}{\$1}}} \ {post}}' \ $local_part current_directory = MM_HOME home_directory = MM_HOME user = MM_UID group = MM_GID
2006-05-18
mailman_transport: driver = pipe command = MM_WRAP \ '${if def:local_part_suffix \ {${sg{$local_part_suffix}{-(\\w+)(\\+.*)?}{\$1}}} \ {post}}' \ $local_part current_directory = MM_HOME home_directory = MM_HOME user = MM_UID group = MM_GID
1304.
mailman_router: driver = accept require_files = MM_HOME/lists/$local_part/config.pck local_part_suffix_optional local_part_suffix = -bounces : -bounces+* : \ -confirm+* : -join : -leave : \ -owner : -request : -admin transport = mailman_transport
2006-05-18
mailman_router: driver = accept require_files = MM_HOME/lists/$local_part/config.pck local_part_suffix_optional local_part_suffix = -bounces : -bounces+* : \ -confirm+* : -join : -leave : \ -owner : -request : -admin transport = mailman_transport
1318.
Mailman provides a web based interface for users. To access this page, point your browser to the following url:
2006-04-27
O Mailman fornece uma interface web aos usuários. Para acessar essa página, aponte seu browser para a seguinte URL:
1320.
The default mailing list, <emphasis>mailman</emphasis>, will appear in this screen. If you click the mailing list name, it will display the subscription form. You can enter your email address, name (optional), and password to subscribe. An email invitation will be sent to you. You can follow the instructions in the email to subscribe.
2006-04-27
A lista de e-mail padrão, <emphasis>mailman</emphasis >, aparecerá nesta tela. Se você clicar no nome da lista, será apresentado o formulário para inscrição. Você pode informar se endereço de e-mail, nome (opcional), e senha para se inscrever. Um convite será enviado a você por e-mail. Você pode seguir as instruções no email para se inscrever.
1644.
vsftpd is an FTP daemon available in Ubuntu. It is easy to install, set up, and maintain. To install <application>vsftpd</application> you can run the following command: <screen> <command>sudo apt-get install vsftpd</command> </screen>
2006-04-27
O vsftpd é um daemon FTP disponível no Ubuntu. Ele é fácil de instalar, configurar e manter. Para instalar o <application>vsftpd</application> você pode rodar o seguinte comando: <screen> <command>sudo apt-get install vsftpd</command> </screen>
1665.
At a terminal prompt enter the following command to install the NFS Server:
2006-04-27
Em um prompt de terminal entre o seguinte comando para instalar o servidor NFS:
1667.
You can configure the directories to be exported by adding them to the <filename>/etc/exports</filename> file. For example:
2006-04-27
Você pode configurar os diretórios a serem exportados adicionando-os ao arquivo <filename>/etc/exports</filename>. Por exemplo:
1669.
You can replace * with one of the hostname formats. Make the hostname declaration as specific as possible so unwanted systems cannot access the NFS mount.
2006-04-27
Você pode substituir o * com um dos formatos de nome de host. Faça a declaração de nome de host o mais específica possível para que sistemas indesejados não acessem a montagem NFS.
1673.
Use the <application>mount</application> command to mount a shared NFS directory from another machine, by typing a command line similar to the following at a terminal prompt:
2006-04-27
Use o comando <application>mount</application> para montar um diretório compartilhado NFS de outra máquina, digitando num prompt de terminal um comando similar ao seguinte:
1688.
The Common UNIX Printing System server's behavior is configured through the directives contained in the file <filename>/etc/cups/cupsd.conf</filename>. The CUPS configuration file follows the same syntax as the primary configuration file for the Apache HTTP server, so users familiar with editing Apache's configuration file should feel at ease when editing the CUPS configuration file. Some examples of settings you may wish to change initially will be presented here.
2006-05-03
O comportamento do servidor CUPS (The Common UNIX Printing System) é configurado através das diretivas contidas no arquivo <filename>/etc/cups/cupsd.conf</filename>. O arquivo de configuração do CUPS segue a mesma sintaxe que o arquivo de configuração primário para o servidor de HTTP Apache, portanto os usuários familiares com a edição do arquivo de configuração do Apache deverão ter uma maior facilidade ao editar a configuração do CUPS. Alguns exemplos de configuração que você queira inicialmente alterar serão apresentados aqui.
1693.
<emphasis role="bold">ServerAdmin</emphasis>: To configure the email address of the designated administrator of the CUPS server, simply edit the <filename>/etc/cups/cupsd.conf</filename> configuration file with your preferred text editor, and modify the <emphasis role="italics">ServerAdmin</emphasis> line accordingly. For example, if you are the Administrator for the CUPS server, and your e-mail address is 'bjoy@somebigco.com', then you would modify the ServerAdmin line to appear as such:
2006-05-03
<emphasis role="bold">ServerAdmin</emphasis>: Para configurar o endereço de email designado para o administrador do servidor CUPS, simplesmente edite o arquivo de configuração <filename>/etc/cups/cupsd.conf</filename> com seu editor de textos predileto, e altere a diretiva <emphasis role="italics">ServerAdmin</emphasis> de acordo. Por exemplo, se você é o administrador do servidor CUPS, e seu email é bjoy@somebigco.com, Então você deverá alterar a diretiva ServerAdmin para ficar como:
1701.
Listen 127.0.0.1:631 # existing loopback Listen Listen /var/run/cups/cups.sock # existing socket Listen Listen 192.168.10.250:631 # Listen on the LAN interface, Port 631 (IPP)
2006-05-03
Listen 127.0.0.1:631 # Loopback existente Listen /var/run/cups/cups.sock # Escuta de socket existente Listen 192.168.10.250:631 # Escutando na interface LAN, porta 631 (IPP)
1702.
In the example above, you may comment out or remove the reference to the Loopback address (127.0.0.1) if you do not wish <application>cupsd </application> to listen on that interface, but would rather have it only listen on the Ethernet interfaces of the Local Area Network (LAN). To enable listening for all network interfaces for which a certain hostname is bound, including the Loopback, you could create a Listen entry for the hostname <emphasis>socrates</emphasis> as such:
2006-05-03
No exemplo acima, você deve comentar ou remover a referência ao endereço Loopback (127.0.0.1) se você não desejar que o <application>cupsd </application> escute naquela interface, mas sim preferir que ele escute somente na interface Ethernet da sua Rede Local (LAN). Para habilitar a escuta para todas as interfaces de rede em que um hostname esteja ligado, incluíndo a loopback, você pode criar uma entrada de Listen para o hostname <emphasis>socrates</emphasis> como: