Translations by Yves Junqueira

Yves Junqueira has submitted the following strings to this translation. Contributions are visually coded: currently used translations, unreviewed suggestions, rejected suggestions.

150 of 188 results
1.
ubuntu-doc@lists.ubuntu.com (Ubuntu Documentation Project)
2006-04-10
ubuntu-doc@lists.ubuntu.com (Projeto de Documentação Ubuntu)
2006-04-10
ubuntu-doc@lists.ubuntu.com (Projeto de Documentação do Ubuntu)
2.
bhuvan@ubuntu.com (Bhuvaneswaran Arumugam)
2006-04-10
bhuvan@ubuntu.com (Bhuvaneswaran Arumugam)
3.
robbieboy@gmail.com (Robert Stoffers)
2006-04-10
robbieboy@gmail.com (Robert Stoffers)
4.
bshumate@openmindshare.com (Brian Shumate)
2006-04-10
bshumate@openmindshare.com (Brian Shumate)
6.
2006-04-06
2006-04-10
2006-04-06
7.
An introduction to installing and configuring server applications on Ubuntu.
2006-04-10
Uma introdução à instalação e configuração de aplicações para servidores no Ubuntu.
8.
Windows Networking
2006-04-10
Redes Windows
9.
Computer networks are often comprised of diverse systems, and while operating a network made up entirely of Ubuntu desktop and server computers would certainly be fun, some network environments must consist of both Ubuntu and <trademark class="registered">Microsoft</trademark><trademark class="registered">Windows</trademark> systems working together in harmony. This section of the <phrase>Ubuntu</phrase> Server Guide introduces principles and tools used in configuring your Ubuntu Server for sharing network resources with Windows computers.
2006-04-10
Redes de computadores geralmente são compostas de diversos sistemas e, ainda que operar uma rede feita apenas de servidores e desktops Ubuntu deva ser divertido, alguns ambientes de rede devem se consistir de sistemas Ubuntu e <trademark class="registered">Microsoft</trademark><trademark class="registered">Windows</trademark> trabalhando juntos em harmonia. Esta seção do Guia para Servidores <phrase>Ubuntu</phrase> introduz princípios e ferramentas utilizadas para configurar seu Servidor Ubuntu para compartilhar recursos de rede com computadores Windows.
10.
Introduction
2006-04-10
Introdução
11.
Successfully networking your Ubuntu system with Windows clients involves providing and integrating with services common to Windows environments. Such services assist the sharing of data and information about the computers and users involved in the network, and may be classified under three major categories of functionality:
2006-04-10
Ligar em rede seu sistema Ubuntu com clientes Windows envolve que se disponibilize e integre serviços comuns a ambientes Windows. Tais serviços ajudam no compartilhamento de dados e informações sobre os computadores e usuários envolvidos na rede e pode ser classificado sob três grandes categorias de funcionalidades:
12.
<emphasis role="bold">File and Printer Sharing Services</emphasis>. Using the Server Message Block (SMB) protocol to facilitate the sharing of files, folders, volumes, and the sharing of printers throughout the network.
2006-04-10
<emphasis role="bold">Serviços de Compartilhamento de Arquivos e Impressão</emphasis>. Utilizando o protocolo Server Message Block (SMB) para facilitar o compartilhamento de arquivos, pastas, volumes, e o compartilhamento de impressoras da rede.
13.
<emphasis role="bold">Directory Services</emphasis>. Sharing vital information about the computers and users of the network with such technologies as the Lightweight Directory Access Protocol (LDAP) and Microsoft <trademark class="registered">Active Directory</trademark>.
2006-04-10
<emphasis role="bold">Serviços de Diretórios</emphasis>. Compartilhando informações vitais sobre os computadores e usuários da rede através de tecnologias como o Lightweight Directory Access Protocol (LDAP) e o Microsoft <trademark class="registered">Active Directory</trademark>.
14.
<emphasis role="bold">Authentication and Access</emphasis>. Establishing the identity of a computer or user of the network and determining the information the computer or user is authorized to access using such principles and technologies as file permissions, group policies, and the Kerberos authentication service.
2006-04-10
<emphasis role="bold">Autenticação e Acesso</emphasis>. Estabelecendo a identidade de um computador ou usuário da rede e determinando a informação a qual o computador ou usuário está autorizado a acessar utilizando tais princípios e tecnologias como permissões de arquivo, diretivas de grupo e o serviço de autenticação Kerberos.
15.
Fortunately, your Ubuntu system may provide all such facilities to Windows clients and share network resources among them. One of the principle pieces of software your Ubuntu system includes for Windows networking is the SAMBA suite of SMB server applications and tools. This section of the <phrase>Ubuntu</phrase> Server Guide will briefly introduce the installation and limited configuration of the SAMBA suite of server applications and utilities. Additional, detailed documentation and information on SAMBA is beyond the scope of this documentation, but exists on the <ulink url="http://www.samba.org">SAMBA website</ulink>.
2006-04-10
Felizmente, seu sistema Ubuntu pode disponibilizar todas essas funcionalidades para clientes Windows e compartilhar recursos de rede entre eles. Um dos principais softwares que seu sistema Ubuntu inclui é a suíte de aplicações e ferramentas SAMBA para servidores SMB. Esta seção do Guia para Servidores <phrase>Ubuntu</phrase> irá brevemente introduzir a instalação e configuração limitada da suíte SAMBA de aplicações e utilitários. Além disso, informações e documentação detalhadas sobre o SAMBA estão além do escopo desta documentação, mas existem no <ulink url="http://www.samba.org">website do SAMBA</ulink>.
16.
Installing SAMBA
2006-04-10
Instalando o SAMBA
17.
At the prompt enter the following command to install the SAMBA server applications:
2006-04-10
No prompt digite o seguinte comando para instalar as aplicações do servidor SAMBA:
19.
Configuring SAMBA
2006-04-10
Configurando o SAMBA
20.
You may configure the SAMBA server by editing the <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> file to change the default settings or add new settings. More information about each setting is available in the comments of the <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> file or by viewing the <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> manual page from the prompt with the following command typed at a terminal prompt:
2006-04-10
Você pode configurar o servidor SAMBA editando o arquivo <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> para mudar as opções padrão ou adicionar novas configurações. Mais informações sobre cada configuração estão disponíveis nos comentários do <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> ou lendo a página de manual do <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> através do seguinte comando digitado no prompt do terminal:
21.
man smb.conf
2006-04-10
man smb.conf
22.
Prior to editing the configuration file, you should make a copy of the original file and protect it from writing so you will have the original settings as a reference and to re-use as necessary.
2006-04-10
Antes de editar o arquivo de configuração, você deve fazer uma cópia do arquivo original e protegê-lo contra escrita para que você tenha as configurações originais como uma referência e re-utilizá-las quando necessário.
25.
Now, edit the <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> file and make your changes.
2006-04-10
Agora, edite o arquivo <filename>/etc/samba/smb.conf</filename> e faça suas alterações.
36.
security = ADS
2006-04-10
security = ADS
38.
Be sure to replace the token DOMAIN_NAME in the example above with the actual name of your specific Windows Domain.
2006-04-10
Assegure-se de substituir o símbolo DOMAIN_NAME no exemplo acima pelo nome verdadeiro do seu Domínio Windows específico.
39.
You will need to restart the SAMBA daemons to effect these changes. Restart the SAMBA daemons with the following command entered at a terminal prompt:
2006-04-10
Você precisará reiniciar os daemons SAMBA para efetivar essas alterações. Reinicie os daemons SAMBA com o seguinte comando inserido no prompt do terminal:
41.
Computer Accounts
2006-04-10
Contas de Computador
42.
Computer Accounts are used in Directory Services to uniquely identify computer systems participating in a network, and are even treated in the same manner as users in terms of security. Computer accounts may have passwords just as user accounts do, and are subject to authorization to network resources in the same manner as user accounts. For example, if a network user, with a valid account for a particular network attempts to authenticate with a network resource from a computer which does not have a valid computer account, depending upon policies enforced on the network, the user may be denied access to the resource if the computer the user is attempting authentication from is considered to be an unauthorized computer.
2006-04-10
Contas de Computador são utilizados em Serviços de Diretório para identificar unicamente sistemas de computador que participam de uma rede e são também tratados da mesma maneira que usuários em termos de segurança. Contas de computador podem ter senha assim como usuários têm e estão sujeitas a autorização para acessar recursos de rede da mesma forma que contas de usuários. Por exemplo, se um usuário de rede com uma conta válida para uma rede em particular tenta se autenticar a um recurso de rede de um computador que não tem uma conta de computador válida, dependendo das diretivas aplicadas na rede, o acesso ao recurso pode ser negado ao usuário se o computador do qual ele tenta se autenticar é considerado um computador não autorizado.
81.
<phrase>Ubuntu</phrase> Server Guide
2006-05-18
Guia para Servidores <phrase>Ubuntu</phrase>
137.
This section of the Ubuntu Server Guide provides general and specific information pertaining to networking, including an overview of network concepts and detailed discussion of popular network protocols and server applications.
2006-05-18
Esta seção do Guia para Servidores Ubuntu fornece informação gerais e específicas sobre redes, incluindo uma vista geral de conceitos de rede e detalhes sobre protocolos populares de rede e aplicações de servidor.
142.
To configure your ethernet device with a static IP address and custom configuration, some more information will be required. Suppose you want to assign the IP address 192.168.0.2 to the device eth1, with the typical netmask of 255.255.255.0. Your default gateway's IP address is 192.168.0.1. You would enter something like this into <filename>/etc/network/interfaces</filename>: <screen>iface eth1 inet static address 192.168.0.2 netmask 255.255.255.0 gateway 192.168.0.1</screen> In this case, you will need to specify your DNS servers manually in <filename>/etc/resolv.conf</filename>, which should look something like this: <screen>search mydomain.com nameserver 192.168.0.1 nameserver 4.2.2.2</screen> The <emphasis role="italics">search</emphasis> directive will append mydomain.com to hostname queries in an attempt to resolve names to your network. For example, if your network's domain is mydomain.com and you try to ping the host <quote>mybox</quote>, the DNS query will be modified to <quote>mybox.mydomain.com</quote> for resolution. The <emphasis role="italics">nameserver</emphasis> directives specifiy DNS servers to be used to resolve hostnames to IP addresses. If you use your own nameserver, enter it here. Otherwise, ask your Internet Service Provider for the primary and secondary DNS servers to use, and enter them into <filename>/etc/resolv.conf</filename> as shown above.
2006-04-25
Para configurar sua interface de rede ethernet com um IP estático e uma configuração personalizada, será necessário algumas informações. Suponhamos que você queira definir o IP 192.168.0.2 para a interface eth1, com a máscara de rede típica 255.255.255.0. Seu gateway (rota de saída) padrão é 192.168.0.1. Vocé deverá inserir algo como isto no arquivo <filename>/etc/network/interfaces</filename>: <screen>iface eth1 inet static address 192.168.0.2 netmask 255.255.255.0 gateway 192.168.0.1</screen> Neste caso, voê precisará especificar o endereço dos servidores de DNS manualmente no arquivo <filename>/etc/resolv.conf</filename>, que deverá parecer com algo do tipo: <screen>search mydomain.com nameserver 192.168.0.1 nameserver 4.2.2.2</screen> A diretiva <emphasis role="italics">search</emphasis> vai anexar mydomain.com para a procura de hostnames, tentando resolver nomes para sua rede. Por exemplo, se o domínio de sua rede é meudominio.com e você tentar fazer um ping no host <quote>meucomputador</quote>, a procura pelo DNS será modificada para <quote>meucomputador.meudominio.com</quote>. A diretiva <emphasis role="italics">nameserver</emphasis> especifica os servidores DNS a serem usados para resolver os hostnames para o IP. Se você usa um nameserver (servidor DNS) próprio, insira-o aqui. Senão, pergunte ao seu provedor de internet os servidores DNS primário e secundário, e depois insira-os em <filename>/etc/resolv.conf</filename>, como mostrado abaixo.
143.
Many more configurations are possible, including dialup PPP interfaces, IPv6 networking, VPN devices, etc. Refer to <application>man 5 interfaces</application> for more information and supported options. Remember that <filename>/etc/network/interfaces</filename> is used by the <application>ifup</application>/<application>ifdown</application> scripts as a higher level configuration scheme than may be used in some other Linux distributions, and that the traditional, lower level utilities such as <application>ifconfig</application>, <application>route</application>, and <application>dhclient</application> are still available to you for ad hoc configurations.
2006-04-25
Diversas outras configurações são possíveis, incluindo interfaces PPP, rede em IPv6, interfaces VPN, entre outras. Execute o comando <application>man 5 interfaces</application> para mais informações e para as opções suportadas. Lembre-se que <filename>/etc/network/interfaces</filename> é utilizado pelos scripts <application>ifup</application>/<application>ifdown</application> como um esquema de configuração de mais alto nível, que pode ser utilizado por outras distribuições, e que os utilitários de baixo nível, como <application>ifconfig</application>, <application>route</application> e <application>dhclient</application> continuam disponíveis para configurações ad hoc.
146.
To manage DNS entries, you can add, edit, or remove DNS names from the <filename>/etc/resolv.conf</filename> file. A <ulink url="../sample/resolv.conf">sample file</ulink> is given below:
2006-04-25
Para gerenciar entradas de DNS, você pode adicionar, alterar ou remover nomes de DNS do arquivo <filename>/etc/resolv.conf</filename>. Um <ulink url="../sample/resolv.conf">arquivo de exemplo</ulink> pode ser visto abaixo:
152.
To manage hosts, you can add, edit, or remove hosts from <filename>/etc/hosts</filename> file. The file contains IP addresses and their corresponding hostnames. When your system tries to resolve a hostname to an IP address or determine the hostname for an IP address, it refers to the <filename>/etc/hosts</filename> file before using the name servers. If the IP address is listed in the <filename>/etc/hosts</filename> file, the name servers are not used. This behavior can be modified by editing <filename> /etc/nsswitch.conf</filename> at your peril.
2006-04-25
Para gerenciar hosts, você pode adicionar, alterar ou remover hosts do arquivo <filename>/etc/hosts</filename>. O arquivo contêm endereços IP e seus nomes de host correspondentes. Quando seu sistema tenta resolver um nome de host para um endereço IP ou determinar um nome de host para um endereço IP, ele procura para o arquivo <filename>/etc/hosts</filename> antes de usar os servidores de nome. Se o endereço IP está listado no arquivo <filename>/etc/hosts</filename>, os servidores de nome não serão utilizados. Este comportamento pode ser alterado, bastando para isso editar o arquivo <filename> /etc/nsswitch.conf</filename> como quiser.
153.
If your network contains computers whose IP addresses are not listed in DNS, it is recommended that you add them to the <filename>/etc/hosts</filename> file.
2006-04-25
Se sua rede possui computadores cujos endereços IP não estão listadas no DNS, é recomendado que você os adicione ao arquivo <filename>/etc/hosts</filename>.
155.
The Transmission Control Protocol and Internet Protocol (TCP/IP) is a standard set of protocols developed in the late 1970s by the Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) as a means of communication between different types of computers and computer networks. TCP/IP is the driving force of the Internet, and thus it is the most popular set of network protocols on Earth.
2006-04-25
O Transmission Control Protocol e o Internet Protocol (TCP/IP) são um conjunto podrão de protocolos desenvolvidos no final dos anos 1970 pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) como uma forma de comunicação entre diferente tipos de computadores e redes de computadores. TCP/IP é a força motora da Internet, e é portanto o mais popular conjunto de protocolos da Terra.
2006-04-25
O Transmission Control Protocol e o Internet Protocol (TCP/IP) são um conjunto podrão de protocolos desenvolvidos no final dos anos 1970 pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA) como uma forma de comunicação entre diferente tipos de computadores e redes de computadores. TCP/IP é a força motora da Internet, e é portanto o mais popular conjunto de protocolos da Terra.
157.
The two protocol components of TCP/IP deal with different aspects of computer networking. <emphasis>Internet Protocol</emphasis>, the "IP" of TCP/IP is a connectionless protocol which deals only with network packet routing using the <emphasis role="italics">IP datagram</emphasis> as the basic unit of networking information. The IP datagram consists of a header followed by a message. The <emphasis> Transmission Control Protocol</emphasis> is the "TCP" of TCP/IP and enables network hosts to establish connections which may be used to exchange data streams. TCP also guarantees that the data between connections is delivered and that it arrives at one network host in the same order as sent from another network host.
2006-04-25
Os dois protocolos componentes do TCP/IP lidam com diferentes aspectos da computação em rede. <emphasis>Internet Protocol</emphasis>, o "IP" do TCP/IP é um protocolo de sem conexão que lida somente com o roteamento de pacotes da rede utilizando o <emphasis role="italics">datagrama de IPs</emphasis> como unidade básica das informações de rede. O datagrama do IP consiste de um cabeçaho seguido de uma mensagem. O <emphasis>TCP (Transmission Control Protocol - Protocolo de Controle de Transmissão)</emphesis> é o "TCP" do TCP/IP e permite que os hosts da rede estabeleçam conexões, as quais podem ser usadas para troca de fluxo de dados. O TCP também garante que o dado entre as conexões seja entregue e que ele chegue em um host de rede na mesma ordem em que foi enviada por outro host de rede.
159.
The TCP/IP protocol configuration consists of several elements which must be set by editing the appropriate configuration files, or deploying solutions such as the Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) server which in turn, can be configured to provide the proper TCP/IP configuration settings to network clients automatically. These configuration values must be set correctly in order to facilitate the proper network operation of your Ubuntu system.
2006-04-25
A configuração do protocolo TCP/IP consiste em diversos elementos, que podem ser editados nos arquivos de configuração apropriados, ou optando-se por soluções como o servidor de DHCP (Protocolo de Configuração Dinâmica de Hosts), que por sua vez pode ser configurado para prover as configurações TCP/IP necessárias para cada cliente de rede automaticamente. Esses valores da configuração precisam ser definidos corretamente, de maneira que que facilite o funcionamento em rede do seu sistema Ubuntu.
160.
<emphasis role="bold">IP address</emphasis> The IP address is a unique identifying string expressed as four decimal numbers ranging from zero (0) to two-hundred and fifty-five (255), separated by periods, with each of the four numbers representing eight (8) bits of the address for a total length of thirty-two (32) bits for the whole address. This format is called <emphasis>dotted quad notation</emphasis>.
2006-04-25
<emphasis role="bold">Endereço IP</emphasis> O Endereço de IP é uma string de identificação única, expressa em quatro números decimais, que vão de zero (0) à duzentos e cinquenta e cinco (255), separada por pontos, com cada um dos quatros números representado oito (8) bits do endereço, para um tamanho total de trinta e dois (32) bits para todo o endereço. Este formato é chamado de <emphasis>notação decimal com pontos</emphasis>.
165.
<emphasis role="bold">Nameserver Address</emphasis> Nameserver Addresses represent the IP addresses of Domain Name Service (DNS) systems, which resolve network hostnames into IP addresses. There are three levels of Nameserver Addresses, which may be specified in order of precedence: The <emphasis>Primary</emphasis> Nameserver, the <emphasis>Secondary</emphasis> Nameserver, and the <emphasis>Tertiary</emphasis> Nameserver. In order for your system to be able to resolve network hostnames into their corresponding IP addresses, you must specify valid Nameserver Addresses which you are authorized to use in your system's TCP/IP configuration. In many cases these addresses can and will be provided by your network service provider, but many free and publicly accessible Nameservers are available for use, such as the Level3 (Verizon) servers with IP addresses from 4.2.2.1 to 4.2.2.6.
2006-04-27
<emphasis role="bold">Endereço do Servidor de Nomes</emphasis> Endereços de servidores de nome representam o endereço IP do sistema de Serviço de Nomes de Domínio (Domain Name Service - DNS), que resolve nomes de hosts de rede para endereços IP. Há três níveis de endereços de servidor de nomes, que podem ser especificados em ordem de precedência: O servidor de nomes <emphasis>Primário</emphasis>, o servidor de nomes <emphasis>Secundário</emphasis> e o servidor de nomes <emphasis>Terciário</emphasis>. Para que seu sistema possa resolver nome de hosts da rede para seus endereços IP correspondentes, você deve especificar um endereço de servidor de nomes válido o qual você esteja autorizado a utilizar na configuração de TCP/IP do seu sistema. Em muitos casos esses endereços podem e devem ser fornecidos pelo seu provedor de serviços de rede, mas há muitos servidores de nomes gratuitos e acessíveis publicamente, como os servidores Level3 (Verizon) com endereços de IP de 4.2.2.1 a 4.2.2.6.
172.
IP Routing
2006-04-25
Roteamento IP
173.
IP routing is a means of specifying and discovering paths in a TCP/IP network along which network data may be sent. Routing uses a set of <emphasis>routing tables</emphasis> to direct the forwarding of network data packets from their source to the destination, often via many intermediary network nodes known as <emphasis>routers</emphasis>. IP Routing is the principal mode of path discovery on the Internet. There are two primary forms of IP Routing: <emphasis>Static Routing</emphasis> and <emphasis>Dynamic Routing.</emphasis>
2006-04-25
O roteamento IP é uma forma de especificar e descobrir caminhos em uma rede TCP/IP na qual as informações da rede serão enviadas.O roteamento usa um conjunto de <emphasis>tabelas de roteamento</emphasis> para direcionar o encaminhamento de pacotes de dados de rede da fonte para o destino, geralmente por meio de diversos nós de rede intermediários, conhecidos como <emphasis>roteadores</emphasis>. O Roteamento IP é o principal modo de descoberta de caminhos na Internet. Há duas formas primárias de roteamento, <emphasis>Estático</emphasis> e <emphasis>Dinâmico</emphasis>.
174.
Static routing involves manually adding IP routes to the system's routing table, and this is usually done by manipulating the routing table with the <application>route</application> command. Static routing enjoys many advantages over dynamic routing, such as simplicity of implementation on smaller networks, predictability (the routing table is always computed in advance, and thus the route is precisely the same each time it used), and low overhead on other routers and network links due to the lack of a dynamic routing protocol. However, static routing does present some disadvantages as well. For example, static routing is limited to small networks and does not scale well. Static routing also fails completely to adapt to network outages and failures along the route due to the fixed nature of the route.
2006-04-25
O roteamento estático envolve a adição manual de rotas de IP na tabela de roteamento do sistema, e é em geral feito com a manipulação da tabela atráves do comando <application>route</application>. O roteamento estático se beneficia de diversas vantagens se comparado ao roteamento dinâmico, como a simplicidade de implementação em redes menores, previsibilidade (a tabela é sempre computada previamente, portanto a rota é precisamente a mesma a cada vez que for usada), pouca carga em outros roteadores e conexões de rede, devido a falta de um protocolo de roteamento dinâmico. Entretanto, o roteamento estático tem algumas desvantagens. Por exemplo, o roteamento estático é limitado a rede pequenas e não tem uma boa escalabilidade. O roteamento estático também falha completamente em adaptar a rede quanto à interrupções e falhas ao longo da rota devido à natureza estática da mesma.
183.
Firewall Configuration
2006-04-25
Configuração do Firewall
184.
The Linux kernel includes the <emphasis>Netfilter</emphasis> subsystem, which is used to manipulate or decide the fate of network traffic headed into or through your server. All modern Linux firewall solutions use this system for packet filtering.
2006-04-25
O kernel Linux inclui o subsistema <emphasis>Netfilter</emphasis>, o qual é usado para manipular ou decidir o destino do tráfego de rede dirigido para ou através de seu servidor. Todas as soluções de firewall Linux modernas utilizam esse sistema para filtragem de pacotes.
197.
There are many tools available to help you construct a complete firewall without intimate knowledge of iptables. For the GUI-inclined, <application>Firestarter</application> is quite popular and easy to use, and <application>fwbuilder</application> is very powerful and will look familiar to an administrator who has used a commercial firewall utility such as Checkpoint FireWall-1. If you prefer a command-line tool with plain-text configuration files, <application>Shorewall</application> is a very powerful solution to help you configure an advanced firewall for any network. If your network is relatively simple, or if you don't have a network, <application>ipkungfu</application> should give you a working firewall "out of the box" with zero configuration, and will allow you to easily set up a more advanced firewall by editing simple, well-documented configuration files. Another interesting tool is <application>fireflier</application>, which is designed to be a desktop firewall application. It is made up of a server (fireflier-server) and your choice of GUI clients (GTK or QT), and behaves like many popular interactive firewall applications for Windows.
2006-04-27
Há muitas ferramentas disponíveis para ajudá-lo a construir um firewall completo sem conhecimento íntimo da ferramenta iptables. Para os que preferem GUI (interfaces gráficas), sugere-se o <application>Firestarter</application> é bem popular e de fácil utilização, e o <application>fwbuilder</application>, uma aplicação poderosa com visual familiar para administradores que usam ferramentas comerciais de firewall, como o Checkpoint FireWall-1. Se você preferir uma ferramenta em linha de comando para configurar arquivos em "texto puro", o <application>Shorewall</application> é uma solução poderosa que o ajudará em configurações avançadas de firewall em sua rede. Se sua rede for relativamente simples ou você não possuir uma rede o <application>ipkungfu</application> deve proporcionar-lhe um firewall útil com configuração inicial zero, e o permitirá facilmente armar um firewall mais avançado editando arquivos de configuração simples e bem documentados. Outra ferramenta interessante é o <application>fireflier</application>, que é orientado para desktop. É composto de um servidor (fireflier-server) e sua escolha de clientes GUI (GTK ou QT), e comporta-se como muitas aplicações interativas populares de firewall para Windows.
199.
Firewall logs are essential for recognizing attacks, troubleshooting your firewall rules, and noticing unusual activity on your network. You must include logging rules in your firewall for them to be generated, though, and logging rules must come before any applicable terminating rule (a rule with a target that decides the fate of the packet, such as ACCEPT, DROP, or REJECT). For example: <screen>sudo iptables -A INPUT -m state --state NEW -p tcp --dport 80 -j LOG --log-prefix "NEW_HTTP_CONN: "</screen> A request on port 80 from the local machine, then, would generate a log in dmesg that looks like this:
2006-04-27
O registro (log) das ações do firewall é essencial para reconhecer ataques, investigar e reparar erros em suas regras do firewall e notar atividades inesperadas na rede. Você deve incluir regras de registro em seu firewall para que registros sejam gerado, aliás, e regras de registro devem vir antes de qualquer regra aplicável (uma regra com um alvo que decida o destino do pacote, tal como ACEPT, DISCARD ou REJECT). Por exemplo: <screen>sudo iptables -A INPUT -m state --state NEW -p tcp --dport 80 -j LOG --log-prefix "NEW_HTTP_CONN: "</screen> As requisições pela porta 80 para a máquina local, então, geraria um registro dmesg parecido com este:
203.
This section of the <phrase>Ubuntu</phrase> Server Guide introduces a powerful collection of tools for the remote control of networked computers and transfer of data between networked computers, called <emphasis>OpenSSH</emphasis>. You will also learn about some of the configuration settings possible with the OpenSSH server application and how to change them on your Ubuntu system.
2006-05-18
Esta seção do Guia para Servidores <phrase>Ubuntu</phrase> introduz uma coleção de poderosas ferramentas para o controle remoto de computadores ligados em rede e transferência de dados entre computadores na rede, chamado <emphasis>OpenSSH</emphasis>. Você também aprenderá sobre algumas tarefas de configuração possíveis com a aplicação de servidor OpenSSH e como mudá-las em seu sistema Ubuntu.
204.
OpenSSH is a freely available version of the Secure Shell (SSH) protocol family of tools for remotely controlling a computer or transferring files between computers. Traditional tools used to accomplish these functions, such as <application>telnet</application> or <application>rcp</application>, are insecure and transmit the user's password in cleartext when used. OpenSSH provides a server daemon and client tools to facilitate secure, encrypted remote control and file transfer operations, effectively replacing the legacy tools.
2006-04-27
OpenSSH é uma versão disponível livremente da família de ferramentas do protocolo Secure Shell (SSH) para controlar um computador remotamente ou transferir arquivos entre computadores. Ferramentas tradicionais utilizadas para cumprir essas funções, como <application>telnet</application> ou <application>rcp</application> são inseguras e transmitem a senha de um usuário em texto puro quando utilizadas. O OpenSSH provê um servidor daemon e ferramentas de cliente para facilitar controle remoto e operações de transmissão de arquivo com segurança e criptografia, efetivamente substituindo ferramentas de legado.
239.
vsftpd is an FTP daemon available in Ubuntu. It is easy to install, set up, and maintain. To install <application>vsftpd</application> you can run the following command: <screen> <command>sudo apt-get install vsftpd</command> </screen>
2006-04-27
O vsftpd é um daemon FTP disponível no Ubuntu. Ele é fácil de instalar, configurar e manter. Para instalar o <application>vsftpd</application> você pode rodar o seguinte comando: <screen> <command>sudo apt-get install vsftpd</command> </screen>